Foice o tempo (?)

por Laiana Rodrigues

Quando o dia dura mais que uma semana
 O tempo se reverte, preguiçoso, rasteja
 Às vezes, tal qual asno, empaca
 Emanando tensão
 De mim ele graceja
 Mas, e eu?
 Muita ansiedade
 E até mesmo apatia
 Tem horas que sou desânimo
 Tem horas que sinto perder a estribeira
 Rezando para que, chegando ao meio-dia,

 Ainda não seja terça-feira

Ainda não seja enxaqueca
Ainda não seja estafa
Que seja festa, que seja farra
Entretanto, os problemas não são solucionados por decreto
Quisera eu que fosse
E esse meu delírio que, por intensidade, é eterno
Quando menos espero: foi-se