Protesto pra quê?- O que as manifestações revelaram sobre o Brasil.

1012611_677237045636780_64653995_n

*Por Gustavo Lamounier

Há alguns dias minha irmã me acordou quase às 1 da tarde para eu cumprimentar um tio meu. Ele foi nos fazer uma visita e já estava indo embora. Mas antes queria me ver. Massa. Fui até a cozinha, de samba canção, o cumprimentei e peguei uma xícara de café. Em meio a conversa, cujo assunto se tornou os protestos e manifestações no Brasil, quase vomito na minha própria boca ao ouvir a seguinte frase proferida por meu tio: “Nem sei pra quê tanto protesto, o Brasil não tá tão ruim assim”.

(Pô tio, sério?! Caramba hein, como não pude perceber isso antes?! Me faz só um favor, fala isso pra essa galera aqui também.)

http://pastorsamuellemos.files.wordpress.com/2013/04/2009-04-27_fmi-alerta-para-situacao-que-pode-levar-90-milhoes-a-miseria_gg.jpg

Foi aí que eu comecei a pensar nesse texto. Pensei em várias coisas pra escrever. Muitas já foram escritas por outras/os PETianas/os, sobre a violência policial, sobre o clima de mudanças no ar, sobre os protestos terem virado uma festa( com direito a música eletrônica, cerveja e muita criatividade nos cartazes). Sobre o(s) feminismo(s), sobre como as manifestações tem interesses difusos e até contraditórios. Mas uma coisa não saía da minha cabeça. Sobre como esses protestos e manifestações me revelaram coisas sobre o povo brasileiro (até me fez indagar, existe um povo brasileiro?)

Não vou conseguir escrever aqui tudo o que foi revelado. Mas tem algumas coisas que acredito que não podem passar batido. Não vou falar sobre a polícia, midia, ou os protestos. Vou falar sobre a reação das pessos à polícia, à midia e aos protestos. Pois todas estão, à sua forma, conectadas. É difícil traçar uma linha e saber o que os protestos querem. Vi nas ruas da Esplanada “10% do PIB pra educação”, “Dilma abaixa o imposto do Whey”, “Feliciano me cura que eu como sua mulher”, “Contra a corrupção”, “O Gigante acordou”. Mas na reação dos brasileiros, dá pra encontrar semelhanças.

A primeira reação que percebi foi, de frente à violência policial, pessoas que buscaram legitima-lá/justifica-lá. Foi a primeira pois partiu de dentro da minha casa. A televisão ligada com o Jornal dizendo: “Badernistas iniciaram confronto com a polícia e a polícia conteve a manifestação, que antes era pacífica, depois se tornou bagunça”. Isso foi no dia do 1º jogo da Copa das Confederações.

Meus pais acharam um absurdo o que os “baderneiros” fizeram. Tenho um amigo que foi à manifestação e ele me contou toda a história. Me contou a história de como foi a polícia que iniciou o confronto, de como ele teve seu cartaz arrancado de suas mãos e rasgado por um sargento, de como ele tomou spray de pimenta na cara por simplesmente estar lá , de como a polícia perseguiu manifestantes até o Parque da Cidade com um helicóptero atirando spray neles. Depois de ouvir o que contei minha mãe rapidamente caiu na real, mas ainda tive que ouvir do meu velho: “Mas só apanha quem tá fazendo bagunça, se você ver a bagunça, sai fora”.

(Pô pai, sério?! Caramba hein, como não pude perceber isso antes?! Me faz só um favor, fala isso pra essa mulher aqui.)

http://noticiasriobrasil.com.br/wp-content/uploads/2013/06/Jornalista-Giuliana-Vallone-da-Folha.jpg

Não foi apenas ele. Tive outro amigo que numa manifestação levou uma coronhada nas costas “de graça”. Não vou escrever todo o juízo de valor que tenho por quem defende esse discurso. Mas é engraçado e trágico, ao mesmo tempo, ouvi-los.

Outra reação engraçada de ser percebida foi a comoção nacional incitada pela mídia pelos ‘vidros quebrados’. A mídia, e, consequentemente, uma parcela da população procuraram deslegitimar uma manifestação com milhares de pessoas, porque alguns indivíduos praticaram atos de “vandalismo”. Qual seria o ato? Quebrar vidros.

Sério?! Assim, sério mesmo?! Na boa?! Vidro quebrado. Por ano são desviados dos cofres públicos cerca de 50 bilhões de reais e de frente à todo esse cenário foi vidro quebrado o que deixou irritadas/os milhares de brasileiras/os?!

Outra reação foi o aparecimento de várias pessoas especialistas em movimentos sociais. “A manifestação deve ser pacífica, se começar a ser violenta, ela perde a razão”. Ah é?! Então qual é a ‘Razão’ da manifestação? O Estado brasileiro e sua polícia são violentos todos os dias, e pra caralho, por que eles não perderam a “razão”?! Por fim, acredito que as manifestações mostraram o que o povo brasileiro (existe O povo brasileiro? Quem ele é?) tem de pior. Falta de empatia com o próximo, invisibização da luta por direitos alheios, reacionismo e um apego irracional a um status quo que cria e reproduz desigualdades ecônomicas e socias, preconceitos, discriminação, opressão. Mostrou que uma boa parte da população condenou aqueles que estavam lutando contra um problema que afeta à todos.

No final, só resta perguntar, protesto pra quê? E pra quem?

18jun2013---fernando-junca-fez-uma-brincadeira-relacionando-as-manifestacoes-de-rua-e-o-futebol-em-sua-charge-sobre-os-protestos-que-ocorrem-em-diversas-do-pais-1371575363284_960x700

Um pensamento sobre “Protesto pra quê?- O que as manifestações revelaram sobre o Brasil.

  1. Leandro de Amorim

    MANIFESTAÇÕES POR QUE E PRA QUE?
    Que o povo brasileiro está cansado e revoltado com tanta coisa errada não é novidade, mas de fato, quais deveriam ser as reivindicações para tanta manifestação? A população honesta e trabalhadora vive tão afogada em sistemas que oneram o seu baixo salário, que creio que o custo de passagem de ônibus é um grão de areia.
    Somos diariamente “assaltados” de modo “legal” através de altíssimas cargas de impostos em tudo que compramos, vendemos, ganhamos etc. Somos um dos povos que pagam mais impostos no mundo e perceptivelmente temos menor retorno. Sustentamos um sistema politico falido no que diz respeito a servir a população, e que funciona muito bem apenas para defender interesses pessoais.
    Também a falta de capital por conta de baixos salários e altas cargas tributarias, dificulta a aquisição de bens fazendo com que a população entre em outra “roubada” chamada: BANCO.
    Um bom exemplo acontece quando um cidadão brasileiro resolve realizar o “sonho” de comprar um carro novo financiado. Um carro popular (pelado!) custa em torno de R$ 25.000,00. Este mesmo carro sem impostos pago a vista custaria em torno de R$ 15.000,00.
    Pois bem, o carro financiado acaba saindo à bagatela aproximada de R$ 40.000,00… Ou seja, hoje, quem fica com as maiores fatias do capital produzido por este cidadão, sem produzir nada, são os banqueiros e os políticos através de taxas de juros e impostos respectivamente. E o povo brasileiro paga três vezes um bem que em um país justo seria comprado tranquilamente sem arrebentar as finanças das famílias.
    Então imagino… e se as manifestações fossem focadas na redução de impostos, e o povo aprendesse a boicotar as instituições financeiras reduzindo o consumo de financiamentos, cartão de credito e empréstimos??? O que aconteceria??? O serviço público que já é ruim pioraria? Cairíamos novamente em uma crise de desemprego devido à redução do consumo? Pode ser…
    O que sei é que vivemos afogados pagando impostos aos políticos, taxas aos bancos, assaltantes, multas de transito, pedágios, estacionamento do shopping, flanelinhas, etc… e como podemos observar, todos querem muito e não oferecem quase nada (O assaltante oferece azeitonas!).
    Imaginem manifestos focados da seguinte forma:
    1º Contra Taxas de impostos praticada no Brasil.
    Veja os principais impostos e as alíquotas que atingem diretamente o bolso de todos:
    IMPOSTO Alíquota
    IR (imposto de renda) 7,5 a 27,5%
    IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) 0,2 a 1%
    IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) 3 a 4%
    ISS (Imposto sobre Serviços) 2 a 5%
    ICMS (Imposto sobre circulação de mercadorias) 7 a 12%
    IPI (Imposto sobre produtos industrializados) 0 a 300%
    ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis) 2 a 2,5%

    Pra que tanto imposto? Aonde o governo investiu mais de 1 trilhão de reais arrecadados em 2012? Na Educação? Na Saúde? Sabemos que não…
    Não temos nem como imaginar o quanto políticos e funcionários do governo articulam este dinheiro para satisfazer causas próprias. É algo incalculável!!!
    Se todo este recurso fosse realmente investido em saúde, educação, segurança, e tudo aquilo que lembram na época da eleição, talvez seríamos um dos povos mais cultos e saudáveis do mundo!
    Será que a redução das alíquotas onde nenhuma delas ultrapassasse 1%, levaria a falência do governo? Claro que não, basta gastar o dinheiro com a população sem desviar para campanhas politicas, compra de votos no congresso, estádios da copa, compra de bens pessoais, pagamento de propinas, superfaturamento de obras, depósitos em contas dentro de paraísos fiscais, e etc., pois a lista é grande!
    Enfim, talvez este fosse o primeiro grande passo que a população brasileira deveria focar e reivindicar em manifestações. REDUÇÃO DE IMPOSTOS JÁ!!!

    2º Contra Taxas abusivas praticadas descaradamente por bancos.
    Em meio a crises mundiais dos últimos anos, vimos que os bancos BRASILEIROS vêm batendo recordes de lucro todo ano. Já pensou nisso? É muito simples explicar: No Brasil temos um cartel de banqueiros que aproveitam da má situação econômica para praticar um “golpe” em pessoas físicas e jurídicas, oferecendo crédito fácil onde o cidadão mal instruído ou sem opção, cai em ciladas conhecidas como financiamento, cartão de crédito, empréstimos, carnê, entre outros.
    Concordo que existem riscos em emprestar quantias, mas a população não da devida atenção no que os bancos cobram de forma muito desproporcional por este risco. A facilidade de consumir faz com que boa parte das famílias hoje esteja endividada até o pescoço, enquanto banqueiros dão risada desta situação e se dizem salvadores da economia por gerarem crédito.
    ACORDA BRASILEIRO!!! Pare de comprar tudo parcelado. Junte a merreca que ganha e tenha paciência de comprar a vista (Por favor, não chore ao ler).

    3º Contra Impunidade.
    Vivemos em um país mundialmente conhecido pela impunidade, onde ela acontece em todos os níveis hierárquicos da criminalidade, desde o ladrão de galinhas até os gestores públicos que saqueiam os cofres em que depositamos impostos. Bandidos matam, estupram, sequestram, traficam, roubam, aplicam golpes, enfim, passeiam tranquilamente por todo livro do código penal consciente de que as leis brasileiras mais os protegem do que penalizam. Se for menor de 18 anos então, é tratado como vítima. Até as leis dos próprios bandidos são mais eficazes que a brasileira. Além de sustentarmos um sistema politico falido, sustentamos também um judiciário caro, lento, ineficiente e cheio de artimanhas, que só funciona bem na defesa de interesses financeiros.
    O sistema carcerário se tornou uma “central de atendimento do crime”, pois é da cadeia que os bandidos planejam crimes, dão ordens de execuções, monitoram negócios, recrutam e dão treinamento a novatos entre outras atividades (parece piada, mas não é!).
    As leis deveriam ser mais simples, diretas e aplicadas de forma igual para todos, sem benefícios, inclusive para menores de 18 anos, políticos, gestores públicos em geral. Cadeia sem dó e trabalhando pra cobrir os prejuízos causados a sociedade.
    MUDANÇA DAS LEIS JÁ!
    REDUÇÃO DE IMPOSTOS, BOICOTE A BANCOS E MUDANÇA DAS LEIS.

    Meu povo…
    Comentei sobre apenas três pontos que mudariam muito a vida da população de bem citada neste texto, mas sei que ainda existem assuntos que merecem reivindicações e manifestos.
    Um abraço para os bons Brasileiros e vá á merda os brasileiros que nos sacaneiam!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s