Da graça ou da desgraça: que Deus é o seu?

Por Hugo Fonseca   

Está na bíblia, em Levítico:

19, 19

Não use roupas de duas espécies de tecido.

19, 27

Não cortem as pontas dos cabelos em redondo e não aparem a barba.

19,28

Não façam incisões no corpo por algum morto, nem façam tatuagens.

11, 7-8

Considerem impuro o porco, pois, apesar de ter o casco fendido, partido em duas unhas, não rumina. Não comam a carne desses animais, nem toquem o cadáver deles, porque são impuros.

11, 10-11

Mas todo aquele que não tem barbatanas e escamas e vive nos mares ou rios, todos os animais pequenos que povoam as águas, e todos os seres vivos que nelas se encontram, vocês considerarão imundos.

Não está fácil pra ninguém!

Seguindo esses dizeres, estaríamos todas/os no inferno daqui um tempo. Qualquer tatuada/o, inclusive aquelas/es que tatuaram a face de Jesus, ou qualquer pessoa que já tenha ido a um bom churrasco com carne de porco está ferrada no dia do juízo final.

Frutos do mar não pode mais! Ainda dá tempo: não faça nunca mais sua barba. Deus está vendo!

A bíblia é um tanto quanto divertida!

Fico pensando: será que existem cristãs/os que levem esses dizeres do Levítico ao pé da letra? Acho que é consenso que não, né? Alguém já bateu na sua porta, domingo às 8 da manhã, dizendo que Deus tem uma mensagem pra você: não coma frutos do mar? Na boa, todo mundo entende que a bíblia é um escrito datado e a sociedade avança. Qualquer cristã/ão sabe que não dá pra descontextualizar o mundo!

Frei Betto[1] já disse que quando se lê a bíblia é preciso passar da hermenêutica singularizadora para a hermenêutica pluralizadora. A Igreja já acusou judeus pelo assassinato de Jesus, já considerou legítima a escravidão, condenou ao limbo crianças mortas sem batismo, tudo porque a santa Palavra era lida ao pé da letra, sem a criticidade histórica. Ainda bem que agora é diferente!

Também no Levítico (18,22), existe um novo versículo que não foi citado ainda: Não se deite com um homem, como se fosse mulher: é uma abominação!

08Tão engraçado quanto não poder cortar o cabelo, certo?

Não para todo mundo. Nesse ponto a gente tensiona nossa proposta de consenso com muitas/os cristãs/ãos. Marco Feliciano está aí pra sambar na nossa cara e dar um show de hermenêutica singularizadora.

Realmente, ninguém acha que comer carne de porco é pecado, mas agora, seguindo um trecho que está em mesmo pé de igualdade em relação a outros trechos absurdos, há quem diga enfaticamente que a homossexualidade é uma abominação (com algumas variações, mas no mesmo sentido). Mais que isso, há quem defenda essa ideia em espaços na Universidade, no Congresso Nacional Brasileiro e no Conselho Federal de Psicologia.

Inquestionável, a bíblia passa nesse momento a ter o poder de ditar por si que não se pode vivenciar a sexualidade de uma maneira não heteronormativa, poder esse que era inimaginável nas outras circunstâncias. De repente tudo aquilo que nós achávamos divertido virou legítimo discurso nos espaços de discussão públicos. De repente, nada mais pode contrariar essa que é a lei dos homens e das mulheres. De repente a palavra morre e perde seu significado de movimento, de processo histórico, de vida.

Leonardo Boff compreende isso como parte de uma tensão interna dentro das Igrejas. Na medida em que a palavra vai perdendo seu sentido no tempo, toma forma o modelo de testemunho, que é o da Igreja da tradição, que promoveu as missões na África, Ásia e América latina, sendo até cúmplice em nome do testemunho da dizimação e dominação de milhares de povos originários, africanos e asiáticos. É o modelo que Reduziu a Igreja a uma ilha isolada ou a uma fortaleza, cercada de inimigos por todos os lados  dos quais temos que nos defender.[2]

Nesse sentido, a Igreja do diálogo, aquela cuja missão, ainda para Boff, é ser sinal da história de Deus dentro da história humana e também um instrumento de sua implementação junto com outros caminhos espirituais, não tem sequer espaço.

Pela vertente do testemunho, Deus não assume nenhuma forma humana e a Igreja não se propõe a vivenciar sua palavra de acordo com a realidade social. As/os cristãs/ãos deste modelo se sentem aptas/os a desenvolver uma missão salvadora única. Nisso são fundamentalistas, pouco dispostos ao diálogo e o resultado disso é realmente aquela interpretação da bíblia que ignora as pessoas e corrobora com opressões históricas.

O fundamentalismo[3] emerge trazendo sua bíblia debaixo do braço, uma venda nos olhos e graves falhas nas sinapses cerebrais. Ele constrói por isso um Deus do Levítico (livro bíblico cuja autoria é tradicionalmente atribuída a Moisés), que condena, castiga, aponta os pecados e limita direitos de algumas pessoas, em especial de homossexuais, inclusive possivelmente de Jonatas e Davi[4]. Constrói um Deus que a partir do momento em que condena o simples ser d@s sexodivers@s, corrobora com os ideais homofóbicos de uma sociedade que agride milhares de lésbicas diariamente e violenta a liberdade dos gays. Um Deus que descontextualiza o processo de opressão como uma construção social e lê os versículos como verdades absolutas.

Em meio a tudo isso, eu, que nasci em uma família católica e fui uma criança muito temente a Deus, fico agora um pouco confuso. Todos os dias antes das refeições eu rezava: Senhor, obrigado pelo meu alimento. Dai pão a quem tem fome e fome de justiça a quem tem pão; todos os dias antes de dormir eu pedia para que o Senhor não me desamparasse. Como era legal aquele Deus! Protegia-me e ainda por cima me fazia estar indignado com as injustiças do mundo. Eu não sabia ler, mal conseguia pronunciar aquelas orações decoradas, mas já entendia que o mundo precisava de amor e eu via em Deus essa possibilidade de ser mais amor.

Não vou adentrar ao assunto do que faço antes de comer ou dormir hoje em dia, mas apenas preciso enfatizar que não quero ter que acreditar que esse Deus que toma partido por um mundo excludente e opressor é o mesmo por quem eu quando criança juntava as minhas mãozinhas pra pedir proteção, pra pedir mais amor.

07

A graça do Levítico virou desgraça pra muita gente. Umas coisas são mais aceitáveis que as outras e ninguém sabe me explicar o porquê. E é essa falta de porquês que me faz terminar esse texto da maneira como comecei, com diversão. Se nós nos perguntarmos por que algumas pessoas merecem o inferno outras não. Se nós nos desafiarmos quanto ao nosso lado na história dos homens e das mulheres no mundo. Se nós refletirmos sobre os motivos que nos levam (ou não) a juntar nossas mãos. Enfim, e sobretudo, se nós nos permitirmos viver novas formas de amor, possibilitaremos a leitura de todos os versículos do Levítico como linhas e pensamentos em desuso, como frases cômicas e não como motivos de morte e negação.

Eu acredito que depois de tudo isso, um dia, a gente vá fazer amor com a naturalidade de fazer a barba. E não haverá Deus com a audácia de condenar coisa tão bela!


[3] Desconheço as correntes do fundamentalismo cristão. Uso fundamentalista aqui como uma construção política das últimas discussões que têm tratado dos direitos LGBTs e a laicidade do Estado.

[4] I Samuel, 18 1. Tendo Davi acabado de falar com Saul, a alma de Jônatas apegou-se à alma de Davi, e Jônatas começou a amá-lo como a si mesmo. 2. Naquele mesmo dia Saul o reteve em sua casa e não o deixou voltar para a casa de seu pai. 3. Jônatas fez um pacto com Davi, que ele amava como a si mesmo. 4. Tirou o seu manto, deu-o a Davi, bem como a sua armadura, sua espada, seu arco e seu cinto. 

9 pensamentos sobre “Da graça ou da desgraça: que Deus é o seu?

  1. Brenda Sousa

    É muito comum mesmo as pessoas pegarem o livro de Levítico para zombar. Mas se elas lessem o novo testamento saberiam que Jesus já cumpriu toda a lei. Então aconselho, de verdade, que leia o novo testamento todo, justamente para que entenda de fato o que vou te falar aqui e para que deixe de falar a respeito de coisas das quais só sabe por partes. Lendo-o você também terá as respostas que ninguém conseguiu te dar até hoje.
    [1]”Jesus veio para cumprir o que estava escrito na Lei e nos Profetas. (…) Ele cumpriu o que a Lei requeria.
    Mateus 5:17-18: ‘Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.’
    A lei foi guardada perfeitamente por Cristo. E todas suas penalidades contra o povo de Deus, um povo pecador, foram derramadas sobre Cristo. Portanto, a lei, agora, manifestadamente não é o caminho para justiça; Cristo é. O objetivo último da lei é que possamos olhar para Cristo, e não guardar a lei, para a nossa justiça.
    Romanos 10:4: Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.”
    [2]”Deus fez o que prometeu, cumpriu a lei. Assim nada se perdeu, cada “letra pequena” e “til” nele, agora está cumprida.”

    O maior mandamento, segundo Jesus, em Marcos 12:30-31 ‘Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.’
    Cumprindo-os você não fará nada que desagrade a Deus porque amará e será temente a Ele, e não fará com os outros nada que você não queira que façam com você. A vida vivida baseada nisto é a vida que Deus quer para nós. Jesus cumpriu a lei, tornando-a obsoleta, e nos deixou esses mandamentos, além de uma série de princípios deixados por toda a bíblia (leia Provérbios, Eclesiastes). É tudo mais simples do que se imagina.

    Quanto ao homossexualismo, não é apenas em Levítico que esse assunto é tratado. Em Romanos 1:18,26-27 (novo testamento) diz assim: ’18 Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. 26 Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. 27 E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.’
    Mais detalhes, leia o capitulo todo.

    O mundo é regido por leis. A natureza tem suas leis; se eu disser que não morrerei ao pular de um prédio e mesmo assim pular, morrerei, pois a lei da gravidade é um fato. Existem a leis de trânsito. Existem as leis que regem as sociedades em geral. E, portanto, Deus também tem leis. Não podemos viver 100% de acordo com o que queremos, pois o mundo é regido por leis, e seremos penalizados se as descumprirmos. Porque então que, quando se trata dos princípios de Deus, reagimos tão mal? Insistimos pra nós mesmos que algumas coisas escritas ali não são verdade, ou que são um absurdo, que são mentira e pronto e acabou. Mas querendo ou não, gostando ou não, é a palavra de Deus. Há tanta, mais tanta coisa boa escrita ali, de um Deus extremamente grande e bom, que francamente, não sei porque tanta gente insiste em mimimis tão pequenos. Deus e sua palavra vão muito mais além do que você imagina. Muita gente no passado, a igreja católica principalmente, fez muita coisa horrenda em nome de Deus e da palavra d’Ele, e tendemos a criticar Deus por isso. O culpamos. O culpamos por erros de gente sem noção. Existem homens que não interpretam bem a palavra e que envergonham o nome de Deus, realmente. Mas se soubermos de fato o que está escrito ali, saberemos pesar os fatos e reter o que é verdade. Leia, leia e compreenda. Leia e tenha o discernimento.
    Dizem que a bíblia é apenas um livro velho e sem sentido, que perdeu a razão e o significado com o passar dos tempos. Mas digam o que quiser, pensem o que quiser: ela é a palavra de Deus. Sobrevive a mais de 2.000 anos. Transforma vidas, e disso eu posso falar porque transformou a minha. Foi escrita por 40 autores de cidades, culturas e tempos diferentes, num período de 1.500 anos, e mesmo assim ela não se contradiz em absolutamente nada. Gira em torno do homem que teve a audácia de dividir a história ao meio. Que livro lindo é esse! E assim como lá está escrito: podem passar céus e terra, mas a palavra de Deus não passará.

    [1]http://www.monergismo.com/textos/cristologia/cristo_cumpriu_piper.htm
    [2]http://www.somosigreja.org/2012/01/jesus-cumpriu-a-lei/

    1. Yuri Guilherme

      Sinceramente: fico até constrangido em te responder. É de uma inocência ou má-fé tão grande da sua parte falar que a bíblia não se contradiz… Eu sou cristão, vejo muito de divino na bíblia, mas não tenho a pachorra de afirmar que tudo que está ali é verdade pura e absoluta. Ademais, mesmo que fosse: num país diverso, multicultural e multirreligioso, não é a bíblia que rege as relações sociais e políticas (pelo menos não deveria), e sim a Constituição.
      Por fim, como leitor da bíblia – e para apresentar um argumento bobo também (mas não tão estúpido quanto o seu) – posso apenas afirmar que Romanos foi um livro escrito por Paulo, o qual, apesar de ter encontrado o Mestre, guardou um bocado de fariseu dentro de si.
      Agora, se você encontrar alguma passagem em que Jesus – sim, Ele! – fale algo da homossexualidade, aí, sim, eu te tiro meu chapéu.

      Fica a reflexão:

      Há fundamentalistas religiosos que se rogam portadores da palavra de Deus, mas na verdade selecionam algumas frases isoladas das escrituras para fundamentar seu ódio e preconceito, enquanto fecham os olhos para aquelas passagens que Jesus e os Apóstolos fizeram questão de acentuar para que não houvesse dúvida, como a que citei acima.

      Diferente de outros eventos bíblicos, a expulsão dos vendilhões do templo de Jerusalém a chicotadas por Jesus é tratada nos 4 evangelhos (Jo 2,13-21; Mt 21,12-14; Mc 11,11.15-17; LC 19,45-47), talvez para que todos que se dissessem crentes na Palavra não a esquecessem. Essa passagem sempre me chamou atenção porque é a única que conheço em que o Cristo parece ter perdido a paciência e tomado uma atitude agressiva.

      Não foram as mulheres, os gays, os negros ou qualquer outra minoria marginalizada pela sociedade e religião da época que o Cristo expulsou da Igreja sob o chicote, mas justamente aqueles que, como o Pr. Marco Feliciano, utilizavam da religião para ganhar dinheiro e poder. Se Jesus derrubou barracas de quem utilizava o espaço do templo para vender pombos, imaginem o que não faria com esses que utilizam não só o espaço dos templos, mas também da fé alheia para venderem “milagres” (inclusive no cartão de crédito).

      Que possamos refletir um pouco mais sobre a mensagem que Jesus Cristo deixou: de tolerância, de amor ao próximo e de respeito às diferenças. Que os líderes religiosos e políticos possam se lembrar do que Ele disse quando questionado se os judeus deveriam pagar os impostos: “Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” (Mt 22:21), aconselhando, assim que não se misturassem religião e política.

      O Estado Laico deve, portanto, ser defendido também por aqueles que se dizem seguidores do Nazareno, pois quem defende a utilização do Congresso Nacional como um lugar de propagação da Fé e fecha os olhos para o comércio que se dá no interior dos templos religiosos, a meu ver, não está seguindo a Jesus, mas aos próprios vendilhões que ele expulsou…

      1. Cristina

        Excelente comentário!
        Concordo plenamente com o Yuri.

        Falta, ao meu ver, que os cristãos conheçam melhor seu livro sagrado e seus líderes se justifiquem baseando-se melhor nela. Em toda a história de Jesus, ele aponta que veio para as minorias com essas mensagens que o Yuri comentou: de tolerância, amor ao próximo e respeito às diferenças. Adiciono a reflexão quando Jesus encontra a mulher adúltera, que seria apedrejada segundo mandava a lei de Moisés (esse que dizem ter escrito o Levitico). O que Jesus fez? Utilizou de uma de suas expressões mais famosas – e mais esquecidas – “aquele que não tiver nenhum pecado, que atire a primeira pedra”. Assim, Jesus passa por cima da lei de Moisés e exemplifica também que o mandamento do “amai-vos uns aos outros” é o maior.

        Enfim, acho extremamente complicado e, por vezes, ignorante os cristãos utilizarem argumentos do antigo testamento para justificar seus preconceitos. E a população em geral condenar os cristãos com base nisso também. Cristãos são aqueles que seguem o Cristo, que deveriam pregar o amor e serem reconhecidos onde quer que fossem, como Jesus falou, por esse amor.

        O amor é o maior mandamento, cristãos, não esqueçam disso e não se deixem levar. Conheçam a religião de vocês e quem vocês dizem seguir.

  2. Fernanda

    1. As recomendações de Levítico ao povo Judeu:

    Primeiro eu queria comentar sobre o texto de Levítico… As regras foram escritas para um povo que estava em peregrinação. Os judeus, através de Moisés, tinham acabado de sair da escravidão do Egito e caminhavam para terra prometida. Várias vezes durante essa jornada o povo judeu entrou em contato com outros povos, colocando em cheque seu relacionamento “monogâmico” com Deus, ou seja, várias vezes, eles se envolveram com diversas outras culturas, cultuando outros deuses inclusive. Claramente, Deus se irritava com essa postura, chamando-a prostituição… isso porque Deus tinha um propósito específico para o povo judeu: criar um povo que se dedicasse a Deus acima de todas as coisas, e levasse ao mundo a Sua Palavra, e fosse meio para que a salvação viesse para os homens através de Cristo….
    Por isso as regras neste livro eram taxativas, por vezes pareciam detalhistas e cruéis: pelo fato de que Deus não queria que o povo judeu se deixasse levar pelas outras culturas.
    Algumas regras eram meramente culturais mesmo (ou ao menos não temos ainda uma explicação plausível para elas), como a questão da barba… outras no entanto mostravam que, na verdade, Deus tinha um cuidado fenomenal com o povo judeu como, por exemplo a regra de proibição quanto à carne de porco. Além do próprio cuidado que se deve ter com a carne de porco, pois se o animal não recebe certos cuidados ele se torna veículo de várias doenças (definitivamente, criar animais no meio do deserto não viabiliza muitos cuidados); muitos judeus têm uma doença genética que os faz muito mais propensos a terem problemas com uma proteína da carne do porco, podendo levá-los a morte.
    Outra regrinha importante foi a do asseio… Deus falou que, se o povo não fizesse e enterrasse suas fezes fora do arraial no deserto, Ele não protegeria o povo. Isso só para citar alguns exemplos.

    Então eu digo o seguinte… as regras, todas elas, de um jeito ou de outro, faziam algum sentido na época, como você mesmo dá a entender no texto.

    2. Sobre o inferno e a Lei

    Pulando para outro ponto, achei interessantíssima essa sua observação aqui:

    “estaríamos todas/os no inferno daqui um tempo.”

    E eu quero dizer que SIM!!!! Estaríamos TODOS (AS)…. judeus e não judeus, pagãos, gentios, pessoas amáveis e maldosas, ricas e pobres, caridosas e avarentas. TODOS(AS) estaríamos no inferno. Na verdade, a bíblia fala que TODOS(AS) nós somos pecadores(as):

    Porque TODOS pecaram e destituídos estão da glória de Deus. (Romanos 3:23)

    Sim, ninguém conseguiu seguir na íntegra todas as regras, nem mesmo os simples 10 mandamentos. “Ninguém vírgula”, exceto Jesus Cristo.
    Todos nós, de pressuposto, já estávamos no inferno, mas aí….
    Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3:16)

    É o que a Bíblia fala em I Coríntios 15:21- 22:
    Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Pois como em Adão todos morrem, do mesmo modo em Cristo todos serão vivificados.

    Então a história é a seguinte… pecamos, nosso destino era a morte eterna, mas Deus, no seu extremo AMOR, manda seu filho para ser perfeito, não pecar em nada e nos conceder a vida recebendo a sanção que era devida à nós: a morte.
    A Bíblia fala o seguinte sobre a salvação: não se dá pelas obras, afinal, todos “obramos” mal; ou seja… não adianta fazer caridade pro resto da vida (apesar de isso ser essencial), porque não é ela que salva. A Bíblia diz que a salvação vem pela GRAÇA (como você citou em seu texto):

    Efésios 2:8-9:Porque pela graça sois salvos, mediante a FÉ, e isso não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados (porque estávamos mortos) em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.

    Assim o que nos Salva é a GRAÇA, afinal, na desgraça nós já estávamos…
    Só que a Bíblia faz uma ressalva… pela graça, mediante a fé. Faz ainda a seguinte ressalva:
    Romanos 10:9-10: Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração CRERES que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.

    Contei isso tudo para falar o seguinte: quando nós acreditamos que Cristo veio ao mundo, ressuscitou, e nos deu a vida ainda que já estivéssemos condenados à morte, nós declaramos que CONFIAMOS em Deus, confiamos que o que Ele estipula como regra é o melhor para nós, confiamos que há um porque para cada regra, e que se tivéssemos cumprido o que Ele disse desde o início do mundo com Adão e Eva, não teríamos conhecido a morte.
    Porque, como eu coloquei lá em cima a morte veio para nós com Adão e Eva, e com seu ato de rebeldia, de desobediência. Muitos falam que o pecado original era o sexo entre eles. Eu sinceramente discordo totalmente. O pecado foi a desobediência, o discordar de que Deus teria falado toda a verdade sobre a árvore da vida… afinal, será que morreremos se comermos dela?

    Não o sexo. O sexo é lindo!!! Você tem toda razão:
    “ E não haverá Deus com a audácia de condenar coisa tão bela!”

    Foi um presente de Deus, porque Ele nos deu prazeres e não há nada errado em ter prazeres! Comer é bom, beber é bom, fazer sexo é bom, amar é bom. Só que existem regras que se forem desobedecidas trazem a morte, como o prazer de comer o fruto, por Adão e Eva.

    Não é só em Levítico, nesse contexto histórico específico que há uma série de regras estipuladas na Bíblia. Muito tempo depois da peregrinação judaica, Cristo foi incisivo com relação às regras. Ele não só reafirmou as regras na passagem de Mt. 19: 16/19, como foi mais exigente com as regras da época, como nesse trecho:

    Mateus 5:27-48: Ouvistes que foi dito: Não adulterarás.
    28 Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.
    29 Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
    30 E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que vá todo o teu corpo para o inferno.
    31 Também foi dito: Quem repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio.
    32 Eu, porém, vos digo que todo aquele que repudia sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, a faz adúltera; e quem casar com a repudiada, comete adultério.
    33 Outrossim, ouvistes que foi dito aos antigos: Não jurarás falso, mas cumprirás para com o Senhor os teus juramentos.
    34 Eu, porém, vos digo que de maneira nenhuma jureis; nem pelo céu, porque é o trono de Deus;
    35 nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei;
    36 nem jures pela tua cabeça, porque não podes tornar um só cabelo branco ou preto.
    37 Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; pois o que passa daí, vem do Maligno.
    38 Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente.
    39 Eu, porém, vos digo que não resistais ao homem mau; mas a qualquer que te bater na face direita, oferece-lhe também a outra;
    40 e ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa;
    41 e, se qualquer te obrigar a caminhar mil passos, vai com ele dois mil.
    42 Dá a quem te pedir, e não voltes as costas ao que quiser que lhe emprestes.
    43 Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo.
    44 Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem;
    45 para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.
    46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? não fazem os publicanos também o mesmo?
    47 E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis demais? não fazem os gentios também o mesmo?
    48 Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial.

    Então chegamos ao ponto….
    A questão da homossexualidade é tratada na Bíblia não só em Levítico, mas várias vezes Paulo exortou a igreja que trazia dentre outros costumes locais, a sodomia.

    I Coríntios 6: 9- Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.
    E tais fostes alguns de vós; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.
    12 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.

    Muitas pessoas usam esse trecho: “Todas as coisas me são lícitas” para afirmar que após Cristo, todas as regras fechadas da bíblia poderiam ser relativizadas… mas não é bem assim. É bem verdade que não foi exigido de nós gentios alguns costumes como a circuncisão ou a barba grande ou a proibição à carne de porco. Mas regras como “não adulterarás” estão claramente imputadas a judeus e gentios.

    Foi também o caso da homossexualidade, tanto entre homens quanto entre mulheres, como fala esse forte trecho:
    Romanos 1: 22- 28: Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos, e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si; pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador, que é bendito eternamente. Amém. Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro. E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado, para fazerem coisas que não convêm;

    Portanto, o que eu quero dizer é o seguinte… SIM, não restam dúvidas de que a bíblia expressa claramente ainda nos dias de hoje que o adultério é pecado, que a mentira é pecado, que a gula é pecado e que a homossexualidade é um pecado. Entenda o seguinte… o que se quer não é chegar para um homossexual e dizer.. olha, ele é um pecador! Fazer isso é um absurdo tão grande quanto a trava no olho como Cristo fala:
    Mt. 7:4- 5: Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão.
    Simplesmente pelo fato de que TODOS pecamos. O porém disso é o seguinte: assim como no Éden, Deus continua a prescrever regras… desobedecê-las é saber, através da comprovação empírica de Adão e Eva, de que isso não será o melhor para nós. Não é fácil cumpri-las… uns tem dificuldade em não comer além do que precisam, caindo em gula; outros tem problemas na fidelidade, caindo em adultério. Deus sabe que o nosso coração humano é falho, e que estamos submetidos a milhões de tentações todos os dias.. mas, ele continua dizendo que o que Ele planejou para nós é outra coisa, e que cada vez que erramos e não nos arrependemos nos afastamos dele, por não ACREDITAR que o que ele colocou como regra é o melhor para nós.

    Ninguém é santo, ninguém cumpre a lei 100%, mas a diferença está no arrependimento, e na tentativa da mudança de conduta, e na vontade de obedecer por confiar, por amar e por Crer. Se fizermos isso, a Bíblia é clara: seremos justificados por Cristo, que assume o papel de esconder nossos erros diante de Deus, para que Ele não veja como somos falhos, mas veja que ACREDITAMOS nEle e no sacrifício de seu Filho, e assim Ele vê a perfeição de Cristo estampada em nós.

    E termino te citando…

    “mas já entendia que o mundo precisava de amor e eu via em Deus essa possibilidade de ser mais amor.”

    Fernanda P. Carvalho

  3. Anónimo

    A pior seita é a porra desse PET, que não produz nada e só gasta recurso público. Tem como profetas Lyra Filho e Roberto Aguiar, e sacerdotes baba-ovos ABC e José Geraldo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s